segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Histórias em Quadrinhos um grande Legado para os Apaixonados! - MÚLTIPLO 12 - OUTUBRO 2017

Histórias em Quadrinhos um grande Legado para os Apaixonados!

Viajar pelos quadrinhos é poder falar de artistas importantes que lutaram e desbravaram estradas... Muitas vezes cavando oportunidades com suas próprias mãos, num pais onde não há muito apoio para educação e cultura. Em pleno 2017, ainda é difícil para um jovem de baixa renda ter fácil acesso à cultura e principalmente às artes.
E isso sempre foi assim. No início de 1800, a situação era muito pior. Até a chegada de um homem. Ângelo Agostini, quando chegou aqui em 1867, vindo da Itália, foi para São Paulo com a mãe, que era cantora Lírica. Os jornais da época só tinham escrita, nada de desenhos. E foi com os próprios desenhos que Angelo trouxe conhecimento para população. Naquele tempo, 85% da população era analfabeta. Só 15% sabia ler!
Foi aí que surgiu a importância das charges!
O povo começava a ver e a entender o país através dos desenhos, que narravam todas as ações do Imperador durante o Império.
Esse período foi um pouco complicado para Ângelo Agostini. O sucesso era grande, o reconhecimento também! Só que ele foi infeliz!
No dia de finados, no cemitério da Consolação, ele fez uma charge sobre "Os Mortos" e colocou caveiras dançando como se estivessem embriagadas.
Foi o suficiente para que a oligarquia o odiasse.
Para você ter uma ideia, o caso do cemitério da Consolação foi o primeiro processo contra jornalistas no Brasil. O processo não deu em nada, somente no quebra-quebra da sede do jornal onde Agostini trabalhava. Desapontado ele resolve ir para o RJ e aqui continua a caminhada com os desenhos que encantavam a todos.
Tinha uma impressora a vapor, onde produzia os próprios trabalhos. Ao lado do grande abolicionista Joaquim Nabuco, defendendo a causa da abolição, trazia para a população desenhos denunciando os maus tratos, o crematório onde os escravos eram colocados ainda vivos, a crueldade a que eles eram submetidos… uma luta grande! Isto foi importante!
O Diabo Coxo, Cabrião, Dom Quixote, Nhô Quim, foram obras e jornais feitos por Ângelo Agostini, que se tornaram nossas riquezas culturais. Agostini se tornou um grande homem da imprensa! Os quadrinhos não só servem para criação, diversão, mas também para expressar toda violência que alguém possa sofrer. Ele deixou uma cultura riquíssima das histórias em quadrinhos para ser contada de geração em geração, para nossos filhos, netos etc....
Se hoje podemos ler histórias em quadrinhos, e até colecionar volumes, devemos muito a Ângelo Agostini, que lá atrás começou essa ideia, com o objetivo de fazer a população analfabeta participar das coisas da sociedade.

Ágata Desmond
agatadesmondhqforever@gmail.com