domingo, 26 de fevereiro de 2017

O que uma paixão pode fazer?

O que uma paixão pode fazer?
Mover multidões, causar alvoroço num aeroporto ou estádio, provocar comoção entre os apaixonados por determinada expressão, que causa uma sintonia entre o objeto de desejo e tantas pessoas pelo mundo.
O fascínio pelas Histórias em Quadrinhos não vem de hoje, aliás, arrisco a dizer que todos nós, em algum momento da vida tivemos a companhia de um personagem em especial... Pode ser que tenha sido um super-herói, ou um personagem cômico, ou mesmo um detetive particular.
A grande verdade é que todos, sem exceção, tiveram por um momento o brilho dos olhos numa história emocionante, numa risada ou numa aventura que, de certo modo, a criança que existia em nós viajava ao mundo dos sonhos, onde tudo era possível.
No Brasil, fomos acostumados a exaltar os personagens dos quadrinhos americanos, Batman, Superman, Mulher Maravilha, entre tantos outros, povoaram nossos sonhos de infância. Nossa cultura sempre relegada a um segundo plano, nunca teve a oportunidade de se mostrar, de cativar os corações dos brasileiros, pois se acostumou a dizer que, tudo que era produzido no Brasil era de péssima qualidade.
Eu mesmo, inúmeras vezes pensei assim... Até que um dia, numa revista alternativa eu descobri que existia muito mais do que até então supunha.
Um mundo inteiro a ser descoberto povoado de emoção, aventura, humor... um mundo repleto de magia e encantamento, onde artistas buscavam competir com os quadrinhos de fora.
Descobri que havia vida na HQ nacional, e muitas vezes vida de qualidade. É verdade que a maioria vinha em forma de protestos, mensagens de luta. Mas as realidades do nosso país, de cada região nesse imenso Brasil tinha muito que mostrar.
O artista nacional também produzia quadrinhos de qualidade. É bem verdade que muita coisa poderia deixar a desejar, mas havia também muita produção de qualidade. E assim eu me apaixonei por essa arte vinda destas terras. Que você que me lê hoje possa dar o devido respeito ao artista nacional.
Que o mundo dos quadrinhos possa se mostrar nestas páginas e em tantas outras de fanzines históricos que resistem ao tempo levando diversão a todos os pontos desse país.
Nossos personagens retratam nossas realidades, e por isso mesmo merecem todo o seu respeito...
Sejam todos muito bem vindos a esse nosso Universo, e que o brilho dos olhos de quem produz provoque o mesmo brilho nos olhos de quem nos lê.


André Carim